ADESTRAMENTO

ADESTRAMENTO

Foto: Getty Images/Thinkstock
Foto: Getty Images/Thinkstock
Por Eduardo Rubio (adestrador)
Permita-me esclarecer que escrevendo este artigo não pretendo ser a voz da sabedoria ou senhor da verdade, apenas dividir com vocês minhas experiências frente ao adestramento de cães.
A primeira coisa a ser feita quando se pretende adestrar um cão é respeita-lo, e isto não quer dizer ter medo dele e sim aceita-lo como um ser complexo e diferente da nossa espécie, portanto tem seus limites e características próprias.

Um tutor responsável é aquele que tem consciência que irá compartilhar sua vida com o cão por pelo menos uma década e não apenas enquanto ele for engraçadinho e brincalhão, pois o tempo passa e a idade chega; como nós também ficamos velhos e rabugentos. Algumas pessoas compram o cão por diversos motivos, mas não se dão conta da responsabilidade frente a este ser, pois ele não foi à sua porta pedir um abrigo – você o buscou – então agora assuma esta adoção como se você tivesse um filho com todos os defeitos e qualidades que ele possa ter.
Recebo sempre ligações de pessoas querendo doar seus cães adultos alegando não saber mais como lidar com a agressividade apresentada ou não ter mais espaço disponível, e a minha resposta é sempre a mesma:
– Se seu filho brigar na escola o senhor também vai doá-lo?
A resposta:
– Não, claro que não!

– O que o senhor faria?

– Vou procurar saber o porque, quem sabe uma ajuda profissional…
– Então o senhor já tem minha opinião, pois não entendo diferença na responsabilidade; o cão sofre quando se separa da família, ele se acostuma, mas sofre com certeza. Assim como nós quando perdemos um ente querido temos que continuar a vida independente da cicatriz deixada na alma.
Portanto amigos avaliem muito bem a realidade antes de adquirir um cão:
– Você tem tempo disponível para ele?Quanto?
– Espaço, temperamento etc.
– Tem condições financeiras de pagar as visitas ao veterinário?
– Você é uma pessoa calma e equilibrada?
– Gosta mesmo de cães ou quer um vigia noturno?
  • Tem certeza que não vai perder o espaço designado a ele?
Visto estes fatores e tomada a decisão, vou passar meus principais segredos para se começar o adestramento:
  • 1. Amor
  • 2. Respeito
  • 3. Paciência
  • 4. Liderança ( falarei sobre isto mais tarde )
A minha “mágica” se resume em:
– Leve-o para conhecer o maior número possível de pessoas.
– Acostume-o a conviver com as crianças, e nunca as associe a coisas desagradáveis( a relação dos cães com as crianças é complicada e mais tarde explicarei a razão ).
– O contato com outros cães é fundamental para que ele se identifique e estabeleça suas relações.
– Nunca prenda seu cão ao receber visitas, mesmo sendo um cão de guarda, pois ele deve aprender a diferença entre amigos e invasores; se você o prender, automaticamente estará passando a idéia de que cada vez que chegar alguém ele terá uma desagradável surpresa, pois será preso e passará a fugir ou a reagir com raiva às pessoas assim que estas chegarem.
– Sempre teremos uma tia que odeia cães e nestes casos é só levar o cão para um lugar, enquanto esta entra e ficamos brincando com ele de forma agradável distraindo a sua atenção. Mais uma vez não se preocupe. Quando chegar a hora de ser um guarda ele o fará.
– Prometa a Deus que nunca, jamais irá prendê-lo em uma corrente, pois se viver em liberdade, com certeza o cão criará o laço de amizade necessário para que ele ame a família que o cria e a defenda em situações de perigo.
Em breve voltarei para mais dicas e coloco-me a disposição para ajudar.
Abraços e até lá.
Fonte: http://sites.uol.com.br/eduardorubio
Anúncios